Boa alimentação e exercícios garantem uma menopausa saudável

01/FEV

Com a chegada da menopausa o nível do hormônio feminino estrogênio cai e a mulher começa a engordar da mesma forma que o homem. Isso quer dizer que, a partir desse momento, em vez de a gordura se acumular nas pernas e quadris, vai parar na barriga. O ganho de peso pode até não ser tão expressivo, o que realmente preocupa é onde os quilos extras se alojam, pois o acúmulo de gordura na região abdominal aumenta a chance de doenças cardiovasculares e principalmente do diabetes tipo 2.


A terapia hormonal repõe o estrogênio no organismo, mas a mulher tem de tomar cuidado com a gordura abdominal. Por isso, é recomendável não só cuidar da alimentação, mas também praticar atividades físicas diariamente. O esporte é importante porque gera bem estar, melhora a reposição do cálcio nos ossos, evita futuras fraturas, auxilia o funcionamento cardiovascular e contribui para a prevenção de infarto e derrame.


Segundo a fisioterapeuta Nilza Carvalho, chefe do Departamento de Fisioterapia da Santa Casa de São Paulo e da Unidade Jaguaribe do Hospital Santa Isabel, tão importante quanto fazer exercícios é ter alguém que supervisione a prática. “O exercício tem de ser feito com a orientação de um profissional. Também é preciso escolher os equipamentos corretos, como usar um bom tênis, por exemplo. Esses cuidados diminuem as chances de lesão.”


A fisioterapeuta defende que o exercício tem de se adaptar à pessoa, não o contrário. Por isso, a idade e o condicionamento físico da mulher têm de ser levados em conta. É preciso ver se ela é sedentária ou se já faz algum tipo de esporte, se essa atividade é leve ou pesada e com que frequência é realizada. “Se ela tem problema nos joelhos e não pode forçar, é possível fazer atividades na água, como hidroginástica, que diminuem o impacto nas juntas e nos ossos”, explica Nilza.


A fisioterapeuta frisa que é essencial adotar uma rotina de exercícios para manter a forma física. “O que não pode é parar, ainda mais se o organismo já está acostumado com o esporte. Se não está, é só encontrar o treino adequado para cada um. Existem atividades adaptadas para a terceira idade, com uma carga de esforço menor.”


ATENÇÃO COM A ALIMENTAÇÃO


Além dos exercícios físicos, uma alimentação balanceada é muito importante para manter o peso em uma faixa saudável. “A mulher tem que ser tratada por uma equipe multidisciplinar, que vai do ginecologista ao nutricionista. É este profissional que vai dizer qual é a dieta mais indicada para ela”, opina Nilza.


Por isso, o mais indicado é evitar a ingestão de açúcar e optar por alimentos ricos em cálcio, que fortalece os ossos, e vitamina D, que aumenta a absorção do mineral. “Dessa forma, a vitamina D pode atuar prevenindo a osteoporose e o aparecimento de fraturas”, declara Darla Silverio Macedo, nutricionista responsável pelo grupo de residentes da área do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Esses nutrientes são encontrados em alimentos como leite e derivados, hortaliças de folhas verdes escuras e peixes como sardinha e salmão. 


FIQUE DE OLHO NA OSTEOPOROSE


Por fim, é importante fazer exames para ver se está tudo bem do ponto de vista cardíaco, ginecológico e clínico. A recomendação geral é que a partir dos 45 anos a mulher faça o teste da densitometria óssea, que mede a densidade mineral na coluna e no fêmur e compara com valores de referência. Assim, é possível saber se a concentração está dentro do normal.

Fonte: Gineco

Deixar comentário