Alerta para endometriose

18/MAR

A endometriose é uma doença caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, nas trompas, ovários, intestinos, bexiga e órgãos mais distantes como os pulmões. 


Todo mês, o endométrio é preparado para ser fecundado e com isso ele fica mais espesso para que um óvulo possa nele se implantar. Como não ocorre gravidez, esse endométrio descama e a mulher menstrua. 


Em algumas mulheres o fluxo menstrual faz o caminho contrário, reflui pelas trompas, atinge órgãos abdominais e neles se implantam causando a endometriose. 


Hoje, a doença afeta cerca de seis milhões de brasileiras. De acordo com a associação brasileira de endometriose, entre 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva (13 a 45 anos) podem desenvolvê-la e 30% tem chances de ficarem estéreis. 


Os principais sintomas da endometriose são:


- Fadiga e exaustão;


- Cólicas menstruais intensas;


- Dor durante a menstruação;


- Sangramento menstrual intenso ou irregular;


- Dor durante a relação sexual;


- Alterações intestinais ou urinárias durante a menstruação;


- Dor difusa ou crônica na região pélvica;


- Dificuldade para engravidar.


Os sintomas podem se manifestar isoladamente ou podem ocorrer uma mistura dos mesmos. Mas há também mulheres que não sentem nenhum tipo de desconforto.


Outras prováveis consequências da endometriose estão relacionadas às alterações epigenéticas (mudança na expressão de genes), na inflamação crônica, nas doenças autoimunes, e até mesmo na resistência à progesterona. 

Fonte: www.mulhercomsaude.com.br

Deixar comentário