Vulvoscopia: exame avalia presença de candidíase, HPV e outras doenças

19/AGO

O que é?


Vulvoscopia é o exame da vulva, que consiste em avaliar as estruturas, pele e mucosas do órgão genital externo feminino. A vulva fica entre o púbis (região de pelos), a região perianal (próxima ao ânus), as pregas da raiz das coxas e a entrada da uretra e vagina.  


Essa é uma área de transição da pele externa para a mucosa que reveste a vagina. As principais estruturas são: grandes e pequenos lábios, clitóris, glândulas de Bartholin e parauretrais. Esta região erógena é muito sensível, vascularizada e responsável por uma grande parte da sensibilidade na relação sexual. E, por apresentar todo esse contexto, pode ser também um grande depositário de problemas desta natureza.  


Indicações


O exame é indicado para complementar a colposcopia (que avalia a vagina e colo do útero), a anuscopia (região anal), mas principalmente, para analisar com mais propriedade a região em casos de queixas das pacientes.  O melhor momento para a avaliação é quando o sintoma está presente. Assim como acontece na pele e demais mucosas do corpo, podemos ter inúmeros tipos de alterações e queixas nesta região. Entre elas estão: pruridos, feridas, dor, lesões bolhosas, verrugas, colorações anormais e etc.  


Contraindicações


Não há contraindicações expressas para o exame de vulvoscopia, que inclusive pode ser feito durante a gravidez.  


Preparo para o exame


Não há necessidade de qualquer tipo de preparo.  Como é feito O exame da vulva é feito com o colposcópio, instrumento que permite visualizar com aumento da superfície da pele e mucosas. A vulvoscopia não é dolorida e pode ser feita em qualquer época da vida, inclusive na gestação. Pode-se usar alguns reagentes e corantes para contrastar e definir áreas de lesões para possíveis coletas de materiais e biópsias, de forma a fazer o diagnóstico mais preciso.  


Resultados


Os sintomas avaliados durante a vulvoscopia podem corresponder a diversas enfermidades, como por exemplo:  


Doenças autoimunes (Líquen, Doença de Behet, psoríase)
Infecções bacterianas (candidíase, cancro, furunculose)
Infecções virais (herpes, molusco contagioso, HPV)
Infestações (carrapato, oxiúros, larvas)
Doenças pré-malignas, malignas (câncer)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST).


O histórico e exame clínico global da paciente, juntos com a vulvoscopia, permite uma avaliação mais assertiva para a prevenção e tratamento das doenças dessa região.

Fonte: Minha Vida

Deixar comentário